Natal – Casas de madeira, bonecas de pano, fantoches, bichinhos de crochê, carrinhos de madeira e jogos educativos. Brinquedos como esses, que deram asas à imaginação de muitos pais e garantiram a diversão de muitas mães durante a infância, agora poderão ser revistados e até adquiridos por uma turminha, que está mais acostumada com o videogame e outros utensílios eletrônicos. O Sebrae no Rio Grande do Norte e o Governo do Estado, em parceria com o Instituto Riachuelo, promovem o Festival de Brinquedos Populares para marcar o Dia das Crianças. Uma loja inteira será montada com artigos confeccionados por artesãos potiguares e que fazem um resgate dos brinquedos artesanais. O evento será realizado entre os dias 9 e 17 de outubro, na loja 160, no primeiro Piso do Midway Mall, das 10h às 22h.

A proposta é fazer um resgate desse tipo de brinquedo e, ao mesmo tempo, valorizar o trabalho de grupos de artesãos que desenvolvem esses produtos, abrindo mercado consumidor. Participam da mostra 10 artesãos que foram selecionados pelo Programa do Artesanato do Rio Grande do Norte, ligado à Secretaria Estadual de Habilitação, Trabalho e Assistência Social (SETHAS). Integram a mostra os seguintes artesãos: Carla Baeta, Regia Andrade, André Barbosa, Maria de Lurdes Teixeira, Ledalícia Monis Sodré, Ana Maria Aurélio, Valdir da Silva, Cleber Albertoj Silva de Souza, Joelma Rocha da Costa e John Pontes Gomes.

imagem07-10-2021-23-10-04Objetivo do Festival de Brinquedos Populares é manter viva a memória e a tradição das brincadeiras infantis, preservando assim a identidade nordestina, e gerar renda para os artesãos, de maneira que possam escoar sua produção com um ponto de vendas, onde a população possa ter acesso a esse tipo de produto facilmente.De acordo com a gestora do projeto de Economia Criativa do Sebrae-RN, Ana Ubarana, foi idealizado um projeto de loja capaz de evidenciar a beleza e a criatividade dos artesãos do estado que criam esses brinquedos. A ambientação foi toda pensada para o público infantil, mas os adultos também podem rememorar os tempos de brincadeiras quando criança.

imagem07-10-2021-23-10-10“Muito mais que fazer esse resgate dessa arte, estamos abrindo acesso ao mercado para os artesãos que persistem na atividade e não abrem mão de fazer peças, que são únicas. É a nossa contribuição para que esse fazer artesanal gere renda e muitos risos, em vez de cair no esquecimento”, diz a gestora.

imagem07-10-2021-23-10-18Para a curadora do festival, Graça Leal, o artesão, produz em suas criações, memórias, histórias, lendas e mitos que enriquecem o universo infantil e a criança brincando aprende a fortalecer suas raízes trocando experiências com os pais e avós, tornando esse tempo de convivência restrita numa dinâmica lúdica, cheia de possibilidades e partilhas com os personagens imaginários que cria para enriquecer a sua brincadeira.

“Preservar os brinquedos populares e manter viva a alma infantil, é a resistência simbólica e cultural que passamos de geração a geração no mundo inteiro, mudando apenas a nomenclatura mas que acima de tudo, nos faz reverberar na alma as nossas humanidades infantis pela vida afora”.

Compartilhar:

Entrar

Cadastrar




Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.